Tudo sobre autenticação de dois fatores

Tempo de Leitura: 5min

Escrito por Natália Scalzaretto

Em 29 de November de 2018

Na internet, segurança nunca é demais. Todos os meses vemos informações de usuários sendo vazadas por hackers e malfeitores criando novas estratégias de phishing e engenharia social para nos enganar. Nossas senhas e perfis virtuais nos dão acesso a contas bancárias, sites de compras e outras ferramentas essenciais no dia a dia. Infelizmente, é necessário estar sempre alerta.

Criar senhas robustas para cada uma das suas contas (e fugir de combinações óbvias para não se tornar presa fácil dos hackers) não é o suficiente para garantir sua privacidade. Diversos serviços – como redes sociais, internet banking e outros – oferecem a autenticação de dois fatores. Ela cria uma camada extra de segurança e é bastante útil para a maioria dos usuários. Saiba o que é, como funciona e como usar esse dispositivo de segurança em suas contas e perfis.

O que é autenticação de dois fatores?

Trata-se de um recurso que adiciona uma camada extra de segurança quando você vai fazer login ou realizar alguma operação. Funciona assim: quando você vai entrar em uma determinada conta, além de digitar a senha será preciso informar outro dado.

Existem diversas maneiras de fazer isso. Por exemplo, mandando um código único para seu e-mail. Ou enviando esse código por mensagem de texto (SMS) para seu telefone. Também existem aplicativos e dispositivos (como drives USB) que geram esse código.

Para que serve a autenticação de dois fatores?

O espírito geral desse método é criar uma barreira extra contra invasões caso sua senha seja comprometida. Imagine que um cibercriminoso consiga roubar suas informações e tente acessar uma conta com informações importantes.

Ele vai usar seu nome de login e sua senha, mas uma mensagem informará a ele que é necessário fornecer mais um dado: um código único enviado para outra conta ou para o smartphone. É assim que esse método mantém os hackers longe de seus perfis. É claro que esse método não é perfeito, mas ele cria uma dificuldade extra que pode proteger você.

Por tabela, ele ajuda você a ficar informado caso alguém descubra sua senha. O invasor não irá conseguir efetuar o login e o sistema emitirá um aviso, dizendo que uma tentativa de login foi realizada. Você poderá, então, mudar sua senha para evitar problemas.

Como ligar a autenticação de dois fatores?

Cada serviço tem um método distinto de utilizar esse método de segurança.

No Facebook, por exemplo, vá até “Configurações de segurança e login” clicando na seta localizada no canto superior direito do Facebook e em “Configurações > Segurança e login”. Em seguida, role a tela para baixo até chegar em “Usar autenticação de dois fatores” e clique em “Editar”. Escolha o método de autenticação que deseja adicionar e siga as instruções na tela. Clique em “Ativar” depois de ter selecionado e ativado um método de autenticação.

O Google tem um processo parecido. Primeiro, é necessário ir à seção “Verificação em duas etapas” da sua Conta do Google. Em seguida, selecione “Primeiros passos” e siga as etapas na tela. Também é possível escolher seu método preferido para receber o código: SMS, chamada de voz, chave de segurança e outros.

Quem usa dispositivos da Apple pode ativar esse serviço acessando “Ajustes” > “[seu nome]” > “Senha e Segurança”. Selecione “Ativar Autenticação de Dois Fatores” e aperte “Continuar”.

Da mesma forma, os smartphones que usam Android também permitem usar a autenticação em dois fatores. Abra o app “Configurações” do dispositivo e aperte “Google” e, depois, “Conta do Google”. Na parte de cima da tela, toque em “Segurança”. No item “Como fazer login no Google”, toque em “Verificação em duas etapas”. Toque em “Primeiros passos” e siga as etapas na tela.

Como reforçar ainda mais a segurança do meu mobile?

Usar a autenticação em dois fatores é muito mais seguro, mas é possível aumentar ainda mais seu nível de proteção. Isso porque caso seu celular seja roubado, os criminosos terão acesso não apenas às suas contas, mas à fonte da verificação em dois passos. E ele nem precisa destravar a tela. Caso suas notificações apareçam na tela travada, qualquer pode ter acesso ao conteúdo das mensagens sem precisar saber da senha de segurança do seu smartphone. Por isso, para ter ainda mais segurança, o melhor é desabilitar as notificações na tela de bloqueio. Veja como fazer isso:

iPhone

(1) Abra “Ajustes” e vá para “Notificações”.
(2) Clique em “Pré-visualizações” no topo da tela para desligar todas as notificações da tela de bloqueio.
(3) Escolha “Quando desbloqueado” ou “Nunca”. No iPhone, é possível manter algumas pré-visualizações de notificações e esconder aquelas com informações importantes. É possível, inclusive, escolher quais apps podem ou não mandar notificações.
(1) Vá em “Ajustes” e, em seguida, “Notificações”.
(2) Escolha o aplicativo que desejar.
(3) Role a tela até a opção de pré-visualizações e escolha “Quando desbloqueado” ou “Nunca”.

Android

O Android tem diversas versões diferentes dependendo do aparelho em que está instalado e da versão usada. De uma maneira geral, as notificações podem ser desativadas da seguinte maneira:
(1) Vá em “Configurações”;
(2) em seguida, abra “Apps e notificações”, depois “Notificações”;
(3) selecione “Na tela de bloqueio” e “Não exibir notificações” ou “Ocultar conteúdo”. Nem todas as versões do Android permitem a configuração de notificações em aplicativos individuais.

Você também pode gostar de…

Minha empresa foi vítima de um crime virtual. E agora?
Minha empresa foi vítima de um crime virtual. E agora?

Estratégias de mitigação de ataques virtuais Em poucas áreas o chavão “prevenir é melhor que remediar” é mais pertinente. Os danos causados por vazamentos de dados ou ataques como o ransomware (uma espécie de sequestro dos computadores da empresa) envolvem prejuízos...

Como garantir a segurança da informação no home office?
Como garantir a segurança da informação no home office?

Dentre as diversas mudanças que a tecnologia trouxe para o mercado de trabalho, o home office - ou trabalho remoto - é uma das mais adotadas em todo o mundo - e o Brasil não está alheio a esta tendência.  Segundo uma pesquisa IBOPE Conecta encomendada pela...

As três maiores ciberameaças de 2019 e o que aprendemos com elas
As três maiores ciberameaças de 2019 e o que aprendemos com elas

Crimes virtuais estão se tornando cada vez mais comuns A segurança da informação está se tornando cada vez mais uma preocupação no Brasil. Pudera: de acordo com a empresa de segurança da informação Unysis, 85% dos brasileiros foram vítimas de crimes virtuais, como...

0 Comments

Submit a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Entre em contato conosco

You have Successfully Subscribed!

Política de Privacidade

Este site usa cookies para fornecer seus serviços e melhorar sua experiência no site. Ao utilizar nosso portal, você concorda com o uso de cookies e nossa política de privacidade.

You have Successfully Subscribed!