Acesso remoto, uma ferramenta ágil, útil e segura

Acesso remoto, uma ferramenta ágil, útil e segura

 

A lista de problemas que podem acontecer com um computador ou um dispositivo conectado à internet é interminável, você sabe. Hackers podem invadir os aparelhos, espalhar vírus, realizar ataques do tipo ransomware; programas podem ficar desatualizados, podem travar, apresentar erros e falhas; conexões podem ficar instáveis, caírem. Para piorar a situação, cada vez mais dependemos de dispositivos eletrônicos para realizar tarefas do dia a dia e do nosso trabalho. Temos cada vez mais aparelhos realizando diferentes funções, e, se eles não funcionam corretamente, simplesmente não podemos realizar nossas atividades.

Por isso, é preciso ter estratégias para resolver os problemas diretamente, com agilidade e segurança. O acesso remoto é essencial para qualquer empresa que preze pela eficiência de suas plataformas (e pela rapidez na resolução de problemas). Por meio dela, não só é possível consertar problemas, como também acessar dados importantes e ferramentas que ajudam a aumentar a produtividade e a agilidade da empresa.

Sua empresa usa o acesso remoto? Veja a seguir as vantagens dele e como se manter seguro usando essa estratégia tecnológica.

 

O que é o acesso remoto?

Como o próprio nome diz, trata-se de uma ferramenta que permite acessar certos dados de maneira remota. Ou seja, um computador, que pode estar na sua empresa, têm acesso aos dados do computador de um funcionário, que pode estar em outra cidade, estado ou país. O acesso também pode se dar no sentido inverso: o dispositivo de um funcionário, colaborador ou parceiro pode ter acesso a dados, servidores ou máquinas dentro da rede da sua empresa.
 

Para que serve?

Dizemos acima que o acesso remoto pode ter diversas utilidades. A principal é manutenção, ou seja, cuidar dos computadores de funcionários e colaboradores, instalando software, fazendo reparos ou simplesmente verificando se há algum problema. Esse acesso pode ser feito pela internet. Mas essa não é a única função do acesso remoto. Ele também dá acesso a arquivos, permite fazer palestras e eventos à distância por meio do compartilhamento de telas, e também a colaboração entre pessoas e equipes, editando e modificando documentos e arquivos.

 

Como funciona?

Existem algumas possibilidades para realizar o acesso remoto. Uma das mais comuns é a VPN (Virtual Private Network, Rede Privada Virtual), uma ferramenta que cria uma conexão direta entre os dois pontos que precisam estar em contato. A principal vantagem da VPN é sua segurança. Usando as ferramentas corretas, invasores e hackers não têm acesso às informações que estão sendo trocadas. Programas criam VPNs mais seguras do que as estabelecidas por meio do protocolo SSL (Secure Sockets Layer, um certificado de segurança). Além disso, eles são mais rápidos!

 

Que ferramentas usar?

Existem diversos programas que você pode usar para conectar computadores, dispositivos e servidores. Alguns deles são Team Viewer, LogMeIn (Windows ou Mac) e Real VNC (Windows, Mac ou Linux). São muito simples de usar: basta instala-los nas máquinas que precisam "conversar" e estabelecer o acesso seguro. Sistemas operacionais podem trazer essa solução de fábrica, embora sejam menos seguras. Windows, Mac e Linux têm suas versões de acesso remoto nativo. É possível também fazer conexões usando o browser. Por exemplo, Screenleap, e SkyFex.

 

É possível usar em dispositivos móveis?

Sim! Diversas ferramentas de acesso remoto têm versões específicas para celulares, tablets e outros dispositivos móveis. Cada vez mais esses aparelhos são usados para trabalhar, por isso é preciso dispor de assistência para corrigir erros ou colaborar em tempo real. Várias dos principais softwares possuem versão para iOS e Android, e permitem que computadores acessem os smartphones à distância.

 

Quais cuidados tomar?

Com ferramentas de extrema utilidade vêm também cuidados que precisam ser tomados. O acesso remoto é útil, mas também tem seus riscos. Muitas empresas sabem disso e limitam a conexão de computadores e dispositivos a apenas alguns funcionários - para evitar criar brechas de segurança de maneira desnecessária. Por isso, é preciso pensar bem antes de abrir completamente o acesso, o faça apenas para técnicos de suporte que atendem sua empresa, especialmente quando se trata de dispositivos móveis. Para evitar que sua rede seja infectada, monitorada e dados sejam roubados e adulterados, sua empresa deve tomar alguns cuidados básicos.

Para começar, é importante proteger os dispositivos móveis. Use senhas fortes, verificação em dois passos e criptografia para evitar que esses aparelhos (e as contas usadas neles) sejam invadidos ou interceptados. É essencial que todos os softwares, sistema e antivírus estejam atualizados. Criptografia, aliás, é recomendável para todos os aparelhos que forem usados em acessos remotos. Senhas fortes devem ser padrão em toda a organização. Melhor ainda se for possível criar senhas que valham apenas por uma sessão, para aumentar a segurança.

Certifique-se de que todos os seus funcionários, usuários e colaboradores sejam treinados e atualizados sempre que for possível. Informar as pessoas a respeito dos riscos e das melhores práticas de segurança ajuda a diminuir as chances de eventos desagradáveis - e criam engajamento interno. A capacitação deve envolver também, de preferência, o uso de dispositivos móveis, hoje onipresentes em todas as residências e empresas. Se sua empresa tem uma política clara de segurança, fica muito fácil orientar os colaboradores. Em caso de dúvida, eles poderão consultar o documento e escolher como agir.

Outro risco comum é a perda ou roubo de notebooks, celulares ou tablets. Se esses dispositivos caírem nas mãos de criminosos, podem fornecer informações confidenciais de seus funcionários e de sua empresa. É preciso se assegurar de que dispositivos inseguros não tenham acesso a informações confidenciais ou possam fazer downloads.

Os e-mails continuam sendo uma das ferramentas mais perigosas para a segurança da informação. Por isso, nunca é demais reforçar que é preciso muito cuidado com mensagens de pessoas desconhecidas, com anexos e links. Hackers e cibercriminosos usam o phishing como estratégia para burlar a segurança da empresa e realizar ataques, instalar malware e roubar dados. Os riscos maiores vêm dos e-mails pessoais que, se acessados no ambiente de trabalho ou em dispositivos usados no contexto corporativo, podem criar brechas de segurança.

Siga-nos

       

 

Contato:

 SIA/SUL Trecho 03 Lote 990,  Cobertura - Edifício Itaú

 CEP: 71.200-030 - BRASÍLIA/DF

 +55 (61) 3363-8636

 contato@fasthelp.com.br

Enviar mensagem

Últimas Notícias