Os riscos da falta de proteção de dados e suas consequências

Os riscos da falta de proteção de dados e suas consequências

 

Não importa o tamanho ou a área de atuação, empresas precisam se preocupar com a segurança de seus dados. Esse é um fato que muitos gestores não reconhecem ou não querem reconhecer, mas que pode ser decisivo para a saúde de um negócio.

De fato, a internet aumenta a eficiência e reduz os custos de operação, tornando possível fazer o que era inimaginável há apenas alguns anos. No entanto, as vantagens também exigem máxima atenção de quem comanda uma companhia. É preciso investir em prevenção e garantir a segurança de suas informações.

 

Casos recentes servem de exemplo para aqueles que ainda acham que ter um bom sistema de segurança é um luxo. Empresas de fama internacional sofreram nas mãos de hackers, colocando a privacidade de seus funcionários e clientes em risco. Eles ajudam a ilustrar a necessidade de ter um time sempre dedicado a identificar, prevenir e lidar com ameaças. Conheça alguns desses casos e entenda porque é essencial proteger os dados de sua empresa.

 

Preço do bitcoin cai depois de ataque a corretora

Em junho do ano passado, a corretora sul-coreana Coinrail anunciou que havia sido hackeada. O impacto da notícia foi tão forte que a cotação da criptomoeda caiu. Os investidores ficaram preocupados com a segurança de seu dinheiro e decidiram vender a moeda virtual. A corretora declarou haver perdido 30% das moedas que estavam sob sua responsabilidade.

 

Invasão a loja expõe dados de cartões de 5 milhões de clientes

Em março de 2019, um grupo de hackers estava vendendo dados de cartões de crédito. Investigações mostraram que a fonte do vazamento era a base de dados das lojas de artigos de luxo Saks Fifth Avenue e Lord & Taylor. Mais de cinco milhões de clientes foram afetados. Uma dessas pessoas decidiu processar a empresa dona das lojas. Segundo a reclamante, a empresa "não cumpriu com os padrões de segurança e permitiu que as informações financeiras de seus clientes e outras informações privadas fossem comprometidas, reduzindo as medidas de segurança que poderiam ter evitado ou mitigado a violação de segurança que ocorreu”.

 

Extraindo bitcoins de maneira clandestina

A empresa Darktrace identificou que mais de mil dos seus clientes estavam sendo usados - sem saber - para minerar criptomoedas, gerando lucros para hackers. E isso não aconteceu com pequenas empresas ou pessoas isoladas. Os servidores de um grande banco europeu estavam sendo usados por um funcionário para gerar valores em moedas criptografadas.

 

Montadora sequestrada para mineração de criptomoedas

Até mesmo empresas de destaque podem ser vítimas de ataques. A Tesla, montadora de veículos elétricos americana, estava sendo usada para minerar criptomedas. A conta de serviços de nuvem de empresa foi invadida por hackers e usada para esse fim. Esse tipo de ataque é conhecido como "criptojacking" (ou "criptosequestro"), quando cibercriminosos usam sistemas de pessoas ou empresas para minerar criptomoedas, como bitcoins. De acordo com a Tesla, a invasão não comprometeu nenhuma informação de seus clientes.

 

Empresa de investimentos brasileira é atacada e dados dos clientes vazam

No Brasil, a corretora XP Investimentos informou em janeiro de 2018 que havia sofrido um vazamento de dados em sua base de clientes. Um arquivo contendo informações sensíveis (como nome completo, número do CPF, e-mail e número de telefones) foi enviado às vítimas por e-mail. O arquivo continha dados pessoais de mais de 29 mil pessoas. Embora não contasse com informações sobre investimentos, a história não pegou bem.

 

O que fazer para evitar ataques?

Sabendo de tudo isso, o que é possível fazer? Como garantir que sua empresa não estará no noticiário por conta de problemas na segurança dos dados? Em primeiro lugar, tenha consciência de que investir em tecnologia da informação é uma necessidade, não um luxo. Segundo, procure um parceiro que possa ajudar a identificar quais são as necessidades principais do seu negócio. Assim, será mais fácil definir as ferramentas das quais você vai precisar.

Primeiro, será feita uma análise de vulnerabilidade para identificar os gargalos e pontos de atenção. A verificação vai identificar o que sua empresa tem de infraestrutura (servidores, dispositivos desktop ou móveis, mídias, etc.). Em seguida, será atribuída uma nota a cada um desses ativos em termos de sua importância para a segurança da informação. Quanto mais alta ela for, mais confidencial um conjunto de informações é.

 

Veja também: Como a análise de vulnerabilidade pode ajudar minha empresa?

 

É muito provável que informações vitais ao seu negócio estejam completamente desprotegidas, prontas para serem roubadas e usadas contra você. Não estamos falando apenas de segredos industriais, mas da sua folha de pagamentos, lista de contatos de seus clientes, suas informações de faturamento, planos de negócios. Tudo isso deve ser protegido o tempo todo. Por isso, opte por soluções que ofereçam criptografia.

Mas os gestores também precisam ser ativos. Não se trata apenas de "tomar cuidado" e manter os antivírus atualizados, mas estar sempre atualizado em relação às estratégias de hackers e crackers e ser capaz de antecipar o que precisa ser feito para evitar problemas no futuro. Qualquer ferramenta usada no dia a dia pode se tornar um potencial alvo. Softwares, dispositivos, wi-fi interno e de terceiros, e-mail e os servidores, se não monitorados e protegidos de maneira correta, se tornam convites à ação de criminosos.

Entenda que será necessário ter recursos à disposição para que sua segurança virtual realmente funcione. Quando não há orçamento para aplicar em soluções dessa natureza, a cibersegurança também fica comprometida. Profissionais especializados são caros, assim como a infraestrutura necessária para proteger os sistemas e redes. Isso é um problema principalmente para pequenas e médias empresas, que, por natureza, têm menos recursos disponíveis. Mesmo quando há orçamento disponível, outra dificuldade se apresenta para as empresas: a falta de profissionais no mercado. Existe atualmente um déficit de profissionais capacitados para atender à demanda.

 

O que fazer, então? Uma solução bastante eficiente e que vai proteger sua empresa é a terceirização. Contratar uma empresa que cuide de suas necessidades de cibersegurança não só resolve o problema de ter profissionais capacitados para zelar pela integridade de seus dados. Também diminui consideravelmente o custo e, dessa maneira, é uma opção mais atraente para gestores (e que, ao mesmo tempo, cobre as necessidades do seu negócio).

 

Terceirizar já é algo bastante conhecido da maioria das empresas. Até mesmo quando estamos falando de tecnologia: muitas contratam serviços especializados para cuidar de suas áreas de TI. Mas, quando estamos falando de segurança da informação, pode haver algum tipo de resistência a conceder acesso a informações importantes a um ente desconhecido. Muito natural que isso ocorra, claro. Para que os gestores confiem em um fornecedor, é preciso que o prestador seja respeitado, conhecido e mostre ter a capacidade de proteger e preservar o sigilo de todos os dados, essenciais para que o negócio funcione.

 

Lembre-se: melhor investir em segurança da informação do que lamentar invasões depois. Não dá para abrir mão desse tipo de ferramenta no mundo conectado em que vivemos hoje.

 

Veja também:

Terceirizar ou contratar em TI: O que é melhor para o seu negócio?

A solução definitiva para seus problemas de segurança da informação

Por que preciso de um Suporte de TI Especializado?

Siga-nos

       

 

Contato:

 SIA/SUL Trecho 03 Lote 990,  Cobertura - Edifício Itaú

 CEP: 71.200-030 - BRASÍLIA/DF

 +55 (61) 3363-8636

 contato@fasthelp.com.br

Enviar mensagem

Últimas Notícias