Solicitar Contato

Iremos retornar seu contato em 24h!

12 + 1 =

Emmanuel Macron vencedor das eleições na França foi alvo de ataque cibernetico

Tempo de Leitura: 2min

Escrito por Natália Scalzaretto

Em 25 de June de 2015

campanha do candidato centrista Emmanuel Macron para a presidência da França foi alvo de uma pirataria maciça a poucos minutos do término oficial da campanha eleitoral, à meia-noite desta sexta-feira (5), pelo horário local.Sua equipe confirmou que uma grande quantidade de documentos internos, como emails e documentos contábeis, foram hackeados e publicados nas redes sociais por meio de um link divulgado pelo site WikiLeaks, que negou envolvimento no caso.

Em um comunicado, a equipe do Emmanuel Macron afirma que os arquivos divulgados foram obtidos há várias semanas de emails pessoais e profissionais hackeados de lideranças do movimento Em Marcha!. “Evidentemente, os documentos pirateados são todos verdadeiros e dizem respeito ao funcionamento normal de uma campanha presidencial”, afirma o texto. Os responsáveis dizem que os arquivos divulgados publicamente não são motivos de preocupação em relação à legalidade e conformidade com as leis eleitorais.

Segundo os responsáveis do movimento Em Marcha!, os documentos pirateados foram divulgados nas redes sociais com outros, falsos, com o objetivo de propagar “dúvidas e desinformação” e prejudicar a candidatura de Macron a poucas horas do segundo turno da eleição presidencial, que foi realizada neste domingo (7).

A operação já foi batizada de “MacronLeaks”. Na noite de sexta-feira, vários partidários da extrema-direita divulgaram os documentos por meio de suas contas nas redes sociais. O movimento Em Marcha! informou que vai acionar as autoridades competentes e pedir uma investigação sobre o caso para identificar a origem do ataque cibernético.

O presidente François Hollande reagiu e afirmou que a piratagem “não vai ficar sem resposta”.

 

Apelo para não divulgar arquivos

 

A Comissão de controle da campanha eleitoral francesa pediu neste sábado (6) para que a imprensa e também os cidadãos não publiquem documentos e arquivos vazados. O apelo foi feito após uma reunião de representantes da comissão para estudar o “ataque informático”.

Em comunicado, a Comissão alertou que a difusão ou redifusão dos dados, que foram obtidos de maneira fraudulenta, e que tudo indica foram misturados a documentos falsos, pode ser punida pelo código penal.

Fonte: Carta Capital

Você também pode gostar de…

Congresso decide que LGPD vale para 2020, mas dúvidas permanecem
Congresso decide que LGPD vale para 2020, mas dúvidas permanecem

Em abril, o Congresso mudou a vigência da Lei Geral de Proteção de Dados. Em vez de agosto de 2020, a implementação passaria para janeiro de 2021. Em seguida, o presidente Jair Bolsonaro publicou a Medida Provisória 959/2020, adiando a vigência da lei ainda mais, para...

LGPD é adiada para maio de 2021. O que muda para a sua empresa?
LGPD é adiada para maio de 2021. O que muda para a sua empresa?

Após o Senado adiar a implementação da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), uma medida provisória assinada pelo presidente Jair Bolsonaro em 29 de abril estende ainda mais o prazo — adiando a LGPD para 3 de maio de 2021. Ou seja, as empresas terão nove meses a mais...

Panorama Fast Help –  4 de Maio
Panorama Fast Help – 4 de Maio

Este é o Panorama FastHelp, seu resumo semanal com tudo o que acontece de mais importante sobre Tecnologia da Informação e Cibersegurança no Brasil. Confira nossos principais destaques:  Ataques e segurança Criminosos seguem se aproveitando do desespero causado...

0 Comments

Submit a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Entre em contato conosco

You have Successfully Subscribed!

Política de Privacidade

Este site usa cookies para fornecer seus serviços e melhorar sua experiência no site. Ao utilizar nosso portal, você concorda com o uso de cookies e nossa política de privacidade.

You have Successfully Subscribed!