Mais de 45% dos brasileiros não trocam senhas, mesmo após sofrerem algum tipo de violação

Tempo de Leitura: 1min

Escrito por Natália Scalzaretto

Em 18 de August de 2017

Descuido com senhas pessoais desperta atenção no meio corporativo, já que comportamento pode indicar negligência com dados sensíveis de empresas; apenas 3% dos brasileiros entrevistados em pesquisa usam um gerenciador de senhas para proteger seus registros online.

Aproximadamente metade dos brasileiros (45,9%) nunca muda as senhas com frequência, mesmo após serem informados de uma violação de dados. Entre os que fazem, 68,4% alteram as do site invadido, mas não as de outros websites. Isto é alarmante, já que os criminosos usam as mesmas credenciais para acessar outras contas dos usuários, contando com a possibilidade de que elas estejam protegidas pela mesma senha.

Para se ter uma ideia, cerca de 17% dos entrevistados de uma pesquisa da Avast disseram que já foram afetados por uma violação de dados. Outros 23,9% dos brasileiros disseram que não têm certeza de que informações estavam incluídas em algum tipo de fraude.

Bases com dados roubados aparecem frequentemente na darknet mesmo anos após uma violação ter acontecido, para outros criminosos comprarem e usarem ilicitamente. Muitos adquirem as informações de conta, incluindo nomes de usuário, senhas e informações de cartão de crédito por R$ 7,00 ou menos, dependendo da taxa de câmbio do Bitcoin.

Como grandes serviços como Yahoo e LinkedIn já foram violados e vazamentos de dados apareceram online, não é de se surpreender que três a cada cinco brasileiros (61%) não estejam confiantes de que seus dados pessoais estão seguros.

Gerenciadores de senhas são ferramentas úteis para gerar senhas fortes e únicas para todas as suas contas e mudá-las facilmente com regularidade. Atualmente, apenas 3% dos brasileiros entrevistados usam um gerenciador de senhas para proteger suas contas.

Fonte: Security Report

Você também pode gostar de…

Congresso decide que LGPD vale para 2020, mas dúvidas permanecem
Congresso decide que LGPD vale para 2020, mas dúvidas permanecem

Em abril, o Congresso mudou a vigência da Lei Geral de Proteção de Dados. Em vez de agosto de 2020, a implementação passaria para janeiro de 2021. Em seguida, o presidente Jair Bolsonaro publicou a Medida Provisória 959/2020, adiando a vigência da lei ainda mais, para...

LGPD é adiada para maio de 2021. O que muda para a sua empresa?
LGPD é adiada para maio de 2021. O que muda para a sua empresa?

Após o Senado adiar a implementação da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), uma medida provisória assinada pelo presidente Jair Bolsonaro em 29 de abril estende ainda mais o prazo — adiando a LGPD para 3 de maio de 2021. Ou seja, as empresas terão nove meses a mais...

Panorama Fast Help –  4 de Maio
Panorama Fast Help – 4 de Maio

Este é o Panorama FastHelp, seu resumo semanal com tudo o que acontece de mais importante sobre Tecnologia da Informação e Cibersegurança no Brasil. Confira nossos principais destaques:  Ataques e segurança Criminosos seguem se aproveitando do desespero causado...

0 Comments

Submit a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Entre em contato conosco

You have Successfully Subscribed!

PROMOÇÃO KASPERSKY PARA EMPRESAS DA SAÚDE

Nossa parceira Kaspersky está com uma iniciativa para proteger quem trabalha com saúde nesse momento de crise. Estamos com diversas soluções para a segurança do ambiente digital com um preço especial.


CONTATO

You have Successfully Subscribed!

Política de Privacidade

Este site usa cookies para fornecer seus serviços e melhorar sua experiência no site. Ao utilizar nosso portal, você concorda com o uso de cookies e nossa política de privacidade.

You have Successfully Subscribed!