Solicitar Contato

Iremos retornar seu contato em 24h!

8 + 7 =

Tudo o que os profissionais de TI precisam saber sobre o LinkedIn

Tempo de Leitura: 7min

Escrito por Natália Scalzaretto

Em 2 de June de 2020

Maior rede social para profissionais do mundo, o LinkedIn se tornou uma ferramenta essencial para buscar oportunidades, ficar em contato com as novidades de cada setor e, é claro, consolidar uma marca pessoal como referência na área. 

No caso dos profissionais de TI, um setor muito voltado para o segmento B2B, marcar presença no LinkedIn se torna ainda mais importante. Entre profissionais de marketing que atuam em empresas B2B, por exemplo, 97% usam a ferramenta. Eles buscam oportunidades para se conectar com potenciais clientes e empregadores. 

O Brasil é o terceiro maior mercado da rede social e, por isso, usuários daqui têm o luxo de testar novas funcionalidades da plataforma — a função stories. Profissionais de TI têm ainda mais motivos para usar esse recurso ao seu favor. 

Por isso, a FastHelp reuniu algumas dicas que são essenciais para os profissionais que desejam aproveitar ao máximo o potencial desta plataforma. Confira!

1. Um perfil completo aumenta suas chances

Parece uma dica básica, mas a verdade é que perfis com foto, atividade atual, resumo das funções, experiência profissional, histórico acadêmico, competências e habilidades tem alcance maior. De acordo com a consultoria de marketing digital Rock Content, perfis com foto recebem 21 vezes mais visualizações. Com tamanha importância, vale a pena investir em imagens em HD, aparência profissional e fundo neutro.
Dica de expert: seus contatos recebem suas atualizações, então caso você esteja montando o perfil ou atualizando com muitas informações de uma vez, pode ser interessante desativar essa função momentaneamente para não sobrecarregar os contatos.

2. SEO é fundamental… 

Mostre suas habilidades de programação logo de cara, otimizando seu perfil para que seja mais facilmente indexado pelo Google. Técnicas de SEO como uma URL de perfil personalizada são excelentes para isso. Também é essencial escolher as melhores palavras-chave para seu resumo e, para isso, abuse de ferramentas como Google AdWords e SEMRush. No caso da área de TI, em que há muitos jargões técnicos, o ideal é tomar cuidado com as abreviações e siglas em excesso. O perfil precisa ser claro para os algoritmos e também para quem não é especialista no assunto. Portanto, prefira descrever linguagens e conhecimentos em funcionalidades por extenso. 

Dica de expert: pense em seus objetivos de carreira. Se você está buscando oportunidades internacionais, por exemplo, vale a pena usar termos em inglês como palavras-chave. Se quer uma recolocação, leve em conta termos que recrutadores podem utilizar. 

3. E conteúdo de qualidade também!

Para se tornar uma referência, é preciso produzir informações relevantes que demonstrem o seu conhecimento e atraiam cada vez mais contatos. Produzir conteúdo pode ser um desafio. Portanto, faça uma curadoria de notícias, pesquisas e relatórios aos quais você têm acesso — isso pode agilizar o processo. Também é fundamental apostar em multimídia: vídeos, imagens, infográficos e áudios podem ter mais alcance que textos simples. Aproveite também a curadoria de palavras-chave do SEO para usar hashtags relevantes, que podem impulsionar seu conteúdo. 

Dica de expert: como qualquer rede social, o LinkedIn busca gerar tráfego para sua plataforma, por isso, links internos tendem a ter maior alcance. Em vez de colocar o link para a foto que você postou no Instagram, por exemplo, experimente postá-la direto no LinkedIn. 

4. Explore os recursos da plataforma

Além do perfil, o LinkedIn tem diversas plataformas que podem ajudá-lo a construir uma marca e aumentar o alcance, como o Slideshare (excelente para ampliar a estratégia de produção de conteúdo) e o JobSearch. Esta última é fundamental para quem busca uma colocação e levará em conta seus interesses profissionais, cargo que deseja ocupar, localização e mais. Daí a importância de manter todas as informações atualizadas. Outra dica para quem quer produzir conteúdo é explorar as funções editoriais, como boletim de notícias. Além de ficar bem informado, isso pode ajudar na curadoria de conteúdos a compartilhar. 

Dica de expert: Utilize os recursos de forma a criar uma narrativa. Se você tem interesse em computação em nuvem, por exemplo, e deseja uma oportunidade na área, vale a pena produzir artigos ou apresentações de slides sobre o tema. Assim, você demonstra que não apenas tem interesse, mas também conhecimento, sobre o setor — e consegue mais visibilidade no LinkedIn ou por buscas orgânicas no Google. 

5. Interação é a palavra de ordem

Perca a timidez: para impulsionar seu perfil, é essencial ter o maior engajamento possível. Por isso, vale usar a chamada regra do 1-1-4: a cada post em benefício próprio, compartilhe um post relevante e outros quatro conteúdos produzidos por parceiros. Envie convites personalizados para conexões, em vez da mensagem padrão, e seja presença frequente na função Groups, onde você poderá interagir com outros profissionais. Outro ponto importante é que quanto mais recomendações endossando suas competências, melhor. Portanto, não hesite em pedir a recomendação de colegas!

Dica de expert: quando participar de eventos e conferências, ative a função “Localizar Próximo”. Assim, seu perfil ficará público e você poderá se conectar a outros usuários do LinkedIn, aproveitando uma audiência qualificada.   

Bônus: Com a palavra, a equipe de recrutamento

Como toda rede social, o LinkedIn propõe uma interação, de certa forma, mais informal que outros espaços dedicados à comunicação profissional. No entanto, isso não significa esquecer de algumas regras básicas, tanto para se relacionar na rede quanto na hora de montar o perfil — especialmente se seu objetivo for utilizá-lo também como currículo.

Vânia Martins, gerente de Recursos Humanos da FastHelp, considera o LinkedIn uma ferramenta importante para a seleção de candidatos que, se bem utilizada, pode ajudar o candidato. Em entrevista ao blog da FastHelp, Vânia explica que o resumo, a área de experiência e as competências são o que mais saltam aos olhos dos recrutadores que navegam pela rede. 

“No resumo, encontramos os pontos fortes e áreas em que o profissional tem expertise. Quando bem descrito e detalhado ele será o norteador para o head-hunter. O campo da experiência também é de extrema relevância, pois é ali que nos certificamos que o profissional tem o conhecimento e experiência que precisamos. Por isso, deixe esta área atualizada e bem organizada”, orienta a profissional. 

Vânia chama a atenção para as competências, que devem incluir realmente as áreas que o profissional domina – ou seja, valorize seus conhecimentos, mas jamais cite habilidades que você ainda não tem. Vânia ressalta que as recomendações são uma ótima forma de corroborar sua expertise: “ter acesso à visão de seus colegas de trabalho e gestores é muito importante, isso fortalece o perfil”, afirma.

Mas além das dicas para valorizar o perfil, Vânia alerta para os erros que prejudicam a imagem de um candidato. “Como recrutadora considero pontos negativos a ausência de foto ou foto fora do contexto de trabalho. Também observo erros de português, assim como ter o objetivo profissional genérico ou até mesmo a cópia de outros perfis”, alerta. 

Para evitar passar uma impressão negativa no perfil e transformá-lo em um bom cartão de visitas, lembre-se de conferir os detalhes – e até mesmo pedir para que outra pessoa o leia para evitar erros. Seguindo todas essas dicas, você será capaz de criar um perfil de sucesso e se consolidar no setor. 

Você também pode gostar de…

Quanto ganham os profissionais de TI?
Quanto ganham os profissionais de TI?

A pandemia do Covid-19 impactou empresas de todos os portes e setores, levando a um aumento do desemprego no país. O setor de TI não ficou imune a este movimento, especialmente em meio à expectativa de redução dos investimentos já destacadas por consultorias como a...

Temos vaga para Analista de Projetos
Temos vaga para Analista de Projetos

Você tem formação superior na área de Tecnologia da Informação ou Administração? Tem experiência na área de Analistas de Projeto em Tecnologia? Tem cursos adicionais na área de Projetos? E no final de tudo, deseja ser um Helper e ter desenvolvimento profissional...

0 Comments

Submit a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Entre em contato conosco

You have Successfully Subscribed!

Política de Privacidade

Este site usa cookies para fornecer seus serviços e melhorar sua experiência no site. Ao utilizar nosso portal, você concorda com o uso de cookies e nossa política de privacidade.

You have Successfully Subscribed!