Tudo que você precisa saber sobre Vulnerabilidade Zero Day

Tempo de Leitura: 5min

Escrito por admin

Em 5 de June de 2018

Existem milhares de tipos de falhas que podem comprometer a segurança de redes e usuários. A maioria delas já foram Zero Day (ou 0day) algum dia. Basicamente, trata-se de uma brecha de segurança descoberta por algum cibercriminoso ou pesquisador que ainda não foi solucionada pelo fabricante do software. Ou seja, é uma porta aberta para qualquer tentativa de invasão.

Mesmo após essas vulnerabilidades deixarem de ser Zero Day elas podem continuar trazendo riscos para as organizações e usuários que não instalarem a atualização de correção. Por isso sempre reforçamos a importância de manter os softwares atualizados, atualizações essas muitas vezes ignoradas até mesmo por técnicos e especialistas da área de TI.

É possível evitar brechas de segurança que ainda nem foram descobertas? Bom, embora seja impossível garantir 100% de proteção, algumas medidas podem ajudar os usuários e as redes a diminuir os riscos. Veja a seguir.

É possível reconhecer um Zero Day?

É praticamente impossível se antecipar a todas elas. Especialistas em segurança pesquisam os sistemas justamente para tentar se antecipar e criar soluções para as vulnerabilidades de programas e sistemas operacionais. Mas, infelizmente, algumas vezes os hackers conseguem ser mais rápidos e criam armadilhas para os usuários.

Como o Zero Day se espalha?

Uma vez que os hackers descobrem uma falha, dividem-na o achado com a comunidade de cibercriminosos e eles passam a usá-la para criar maneiras de infectar máquinas e redes e roubar dados. Em alguns casos, muito tempo se passa antes que as pessoas ou as empresas percebam o que está acontecendo. Nem todos os Zero Day duram muito, no entanto; por isso, os hackers tentam aproveitar ao máximo a chamada “janela de oportunidade”, que se fecha assim que atualizações de segurança são criadas e instaladas pelos usuários.

O bom e velho antivírus

Embora as falhas Zero Day não sejam definidas, justamente, por serem desconhecidas, é crucial que você tenha um bom sistema antivírus. É claro que ele vai demorar para identificar e bloquear uma nova brecha, mas o sistema de segurança pode agir sobre malwares já conhecidos que explorem falhas diferentes nos computadores. Por isso, mantenha seu antivírus sempre atualizado.

Quanto mais popular, mais visado

Os hackers investem seu tempo tentando encontrar falhas Zero Day em programas e aplicativos que sejam muito usados pelo público em geral. Dessa maneira, conseguem alcançar um grande número de pessoas ao mesmo tempo, maximizando seus ganhos e garantido que seus programas maliciosos se espalhem rapidamente. Dois dos principais alvos são o Internet Explorer e o Adobe Flash, para citar apenas alguns. Por isso, é preciso todos os softwares atualizados.

Vulnerabilidades escondidas

É muito difícil garantir proteção completa contra as falhas Zero Day. Um grande exemplo disso é o chamado WannaCry, um dos casos de segurança mais sérios da história da tecnologia da informação. A brecha do tipo Zero Day estava escondida no Windows e até chegou a ser corrigida pela Microsoft. O problema é que nem todo mundo sabia que havia uma atualização de segurança a ser feita em seus sistemas operacionais e 350 mil máquinas em 150 países foram atingidas.

Atualize todos os sistemas e softwares

Esse é um conselho velho, mas que pode proteger seus computadores e usuários: mantenha todos os sistemas e softwares atualizados. E não vale apenas para as atualizações mais críticas, como patches de segurança, mas também para versões dos sistemas usados. Ter edição antiga de um sistema operacional pode conter vulnerabilidades, uma vez que o programa antigo já é um conhecido dos hackers. Programas, como já dissemos acima, também são portas de entrada para vulnerabilidades Zero Day, por isso também ser constantemente atualizados sempre que houver alguma correção disponível.

Mude para a próxima geração de antivírus

Embora seja extremamente necessário ter um antivírus tradicional, esse tipo de software não consegue garantir proteção completa contra falhas do tipo Zero Day. Ele não consegue acompanhar o ritmo da produção de malwares e vulnerabilidades. Por isso, para realmente estar seguro, você precisa ter antivírus da próxima geração, também conhecidos como NGAV (next-generation anti-virus, em inglês). Essas novas tecnologias se baseiam em Inteligência Artificial e são capazes de analisar e identificar novas ameaças que possam aparecer.

Tenha apenas o que é essencial

A regra geral é: quanto mais programas, aplicativos e ferramentas você tiver, mais exposto terá. Afinal, cada um desses pode ser usado como porta de entrada para que hackers invadam seu computador e sequestram seus dados. Fique apenas com o essencial: instale e mantenha os softwares dos quais você e sua empresa de fato precisam. Lembre-se de que cada um deles precisa ser atualizado com frequência para que evitar a exposição a falhas Zero Day.

Cuidado com links e anexos

Mais um conselho básico que pode manter seus sistemas a salvo de falhas Zero Day: cuidado com links e anexos suspeitos. Muitos dos ataques desse tipo se iniciam com phishing e usam uma boa dose de engenharia social para enganar os usuários. Por isso, nunca abra anexos que você não solicitou e mantenha seu antivírus sempre ativo para escanear e identificar sites e links que podem hospedar malwares.

Proteja suas conexões

Outra maneira de não se expor às falhas Zero Day é protegendo as redes locais quando forem transmitir dados, ou seja, por meio de um firewall. É importante também ter cuidado ao usar redes Wi-Fi, que podem ser usadas por hackers para roubar dados e explorar falhas de segurança. Procure também usar apenas sites seguros, que usem o protocolo SSL (security socket layer), que garante que as informações estejam seguras.

Você também pode gostar de…

Minha empresa foi vítima de um crime virtual. E agora?
Minha empresa foi vítima de um crime virtual. E agora?

Estratégias de mitigação de ataques virtuais Em poucas áreas o chavão “prevenir é melhor que remediar” é mais pertinente. Os danos causados por vazamentos de dados ou ataques como o ransomware (uma espécie de sequestro dos computadores da empresa) envolvem prejuízos...

Como garantir a segurança da informação no home office?
Como garantir a segurança da informação no home office?

Dentre as diversas mudanças que a tecnologia trouxe para o mercado de trabalho, o home office - ou trabalho remoto - é uma das mais adotadas em todo o mundo - e o Brasil não está alheio a esta tendência.  Segundo uma pesquisa IBOPE Conecta encomendada pela...

As três maiores ciberameaças de 2019 e o que aprendemos com elas
As três maiores ciberameaças de 2019 e o que aprendemos com elas

Crimes virtuais estão se tornando cada vez mais comuns A segurança da informação está se tornando cada vez mais uma preocupação no Brasil. Pudera: de acordo com a empresa de segurança da informação Unysis, 85% dos brasileiros foram vítimas de crimes virtuais, como...

0 Comments

Trackbacks/Pingbacks

  1. Você sabe para que servem firewall, antivírus e anti-spam? Entenda as diferenças e proteja a sua empresa - Fasthelp - […] Para ele, os melhores antivírus são aqueles que investem em atualizações frequentes para conter as chamadas “ameaças de zero…
  2. Firewall, anti-vírus e anti-spam são a mesma coisa? - […] Para ele, os melhores antivírus são aqueles que investem em atualizações frequentes para conter as chamadas “ameaças de zero…

Submit a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Entre em contato conosco

You have Successfully Subscribed!

Política de Privacidade

Este site usa cookies para fornecer seus serviços e melhorar sua experiência no site. Ao utilizar nosso portal, você concorda com o uso de cookies e nossa política de privacidade.

You have Successfully Subscribed!